segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Atalaia - Vitória Sernache

O Vitória de Sernache arrancou a terceira vitória da época, frente à Atalaia, que é também uma das sérias candidatas a subida de divisão. A formação de Simões Gapo, aproveitou o facto de marcar cedo para "fechar" os caminhos para a sua baliza. A Atalaia, trabalhou muito, teve o domínio do jogo, mas não conseguiu desfeitear a teia defensiva do Sernache. Esta terceira jornada do Campeonato Ling, ponha frente a frente duas equipas, que contavam por vitórias os desafios disputados até a data. Previa-se, por isso, um jogo onde o equilíbrio de forças fosse a tónica dominante. Na primeira vez que chegou a área da Atalaia, o Vitória de Sernache inaugurou o marcador, decorria o minuto 6. Alan, ao primeiro poste, desviou de cabeça o canto apontado por Ricardo André e fez o primeiro tento da partida. Logo no minuto seguinte, os homens da Atalaia reclamaram grande penalidade por mão de Filipe Barata na área de rigor. Ângelo Correia, em cima do lance, mandou seguir. A Atalaia reagia ao tento sofrido e aos 9 minutos, Bruno Correia, com um excelente trabalho individual "descobriu" João Lisboa solto na área, mas o jovem jogador da Atalaia atirou por cima. O Vitória de Sernache a ganhar desde cedo, recuava as suas fileiras deixando para a Atalaia o assumir das despesas do jogo, para tentar inverter o resultado. Aos 14 minutos Óscar Menino bateu um livre em zona frontal permitindo uma defesa apertada a Fábio. O Sernache, apesar de estar mais recuado no terreno, sempre que tinha a bola, tentava "armar" o contra-ataque, para surpreender a equipa de Joca. Quando as jogadas rápidas não surtiam, a surpresa acontecia com remates de meia distância, como aquele que aconteceu aos 23 minutos com Ricardo André a tentar surpreender Valezim. A bola saiu por cima da baliza. O jogo, continuava com a mesma toada, com a Atalaia a dominar e com o Sernache a cortar todas as linhas de passe para a sua baliza. Os caminhos da baliza estavam de tal modo fechados que de nada valeram os intentos de Ucha, aos 25’ que rematou dentro da área por três vezes seguidas, mas a bola esbarrou sempre na muralha defensiva dos homens do Pinhal. Ainda antes do final da primeira parte Óscar na sequência de um livre indirecto, rematou forte para defesa apertada de Fábio, desviando a bola para o poste antes de sair pela linha final. O intervalo, chegava assim com a 0-1, um resultado, que premiava o acerto defensivo do Vitória de Sernache, mas que era de alguma forma injusta para a Atalaia, pois a formação de Joca fez de tudo para chegar ao tento da igualdade. E se o Sernache, marcou nos primeiros minutos da primeira parte, esteve quase a repartir a proeza no segundo tempo, pois Alan, aos 46 minutos, fugiu à defesa da Atalaia e à entrada da área rematou forte, para defesa apertada de Valezim, que, o melhor que conseguiu fazer foi desviar para canto, com o esférico ainda a beijar o poste da sua baliza. A Atalaia, como se previa, veio ainda mais balanceada para o ataque, o que permitia ao Sernache organizar o contra-ataque de forma mais perigosa. Fruto disso, aos 51 minutos, Paulo Lopes escapou à defesa, valendo aos homens da casa a coragem de Valezim, que saiu aos pés do homem do Vitória e anulou o lance. Nesta fase, apesar de continuar a ter mais posse de bola, a Atalaia já tinha mais dificuldades em chegar com a bola "jogável" junto da área do Vitoria. Ucha aos 52 minutos, à entrada da área, rematou forte, mas mais uma vez a bola passou por cima da baliza do Sernache. Já se sabe que, nestas coisas, quem não marca... sofre... foi o que aconteceu ao minuto 62, com Ricardo André à entrada da área a recuperar uma bola perdida pela defensiva da Atalaia, ficou só com Valezim pela frente e atirou para o 0-2. Se as coisas não estavam fáceis para a Atalaia, com este golo ainda ficaram mais complicadas, pois passava a ter uma desvantagem de dois golos, mas acima de tudo, porque o seu opositor estava tacticamente irrepreensível, complicando muito a tarefa dos dianteiros da Atalaia. A formação de Joca, lutou até ao último minuto e dispôs ainda de algumas oportunidades como são exemplo: aos 77 minutos, cruzamento na direita, com Bruno a desviar de cabeça, mas a bola a ir a figura de Fábio; aos 82 minutos, grande jogada de Fábio Brito, que solicitou Ucha, descaído para a esquerda, tentou o cruzamento, valendo ao Sernache o corte atento de Velho; Já no cair do pano, aos 92 minutos, Hugo Brito na transformação de um livre, permitiu mais uma excelente defesa a Fábio. No final, permaneceu o Atalaia-0 Sernache-2, um resultado que premeia o Vitória, que soube tirar partido de ter marcado cedo, para gerir o jogo de forma exemplar. A Atalaia, reagiu bem ao golo, teve as despesas do jogo ao longo dos 90 minutos, mas não conseguiu a "Password" para entrar no bem escalonado esquema defensivo do Sernache. Ângelo Correia e seus pares, não tiveram um jogo fácil de dirigir, pois houve, sobretudo na 2ª parte, muito contacto físico.

3ª Jornada

A jornada três do distrital voltou a ter mais duas goleadas. Será este o campeonato das goleadas ? A Desportiva do Fundão foi quem mais marcou nesta jornada, à sua conta fora sete golos, por sua vez o Águias do Moradal, que também tem estado muito rematador, obrigou o adversário desta tarde a ir ao fundo das redes por quatro vezes. O jogo mais importante da jornada realizou-se em Atalaia do Campo. Frente a frente estiveram duas equipas com aspirações no campeonato: a equipa da casa e o Vitória de Sernache. O desfecho foi algo surpreendente, considerando que pertenceram à equipa de Joca as melhores oportunidades para marcar, todavia, a equipa de Simões Gapo, jogando de forma inteligente, soube aproveitar os espaços que a equipa da casa lhe concedia para, em contra-ataque, os surpreender. Foi dessa forma que aconteceram os dois golos. O primeiro apontado aos 6 minutos, por Alan e o segundo, aos 62m por Ricardo André. ( crónica do jogo em separado). No Estreito era esperado um jogo mais equilibrado, considerando a postura das duas equipas neste inicio de campeonato. Como se contacta pelos números finais deste jogo entre Águias do Moradal e Teixosense, não foi nada disso que aconteceu. Os comandados de António Belo assumiram desde inicio as despesas do jogo e disso tiraram as devidas vantagens. O primeiro golo foi apontado aos 4 minutos, por Esteves, abrindo, deste modo, a porta da goleada. Ainda antes do descanso, Edmilson assinou o segundo. Para complicar ainda mais as coisas para a equipa de Mário Pereira, o Águias, logo no primeiro minuto da segunda parte aumentou para 3-0, com um auto-golo de Chasqueira, que tinha entrado pouco antes na partida. O quarto golo foi da autoria de Saturnino, quando o Teixosense já jogava reduzido a dez. Em Pedrógão o equilíbrio só se registou no resultado final. A equipa de Xana foi mais afoita, teve mais posse de bola, teve mais ocasiões para marcar, mas foram os homens de José Ramalho quem primeiro fez mexer o marcador. Estavam decorridos 39 minutos, num livre, Pira atirou para o fundo das redes da equipa da casa. O Pedrógão ainda conseguiu chegar à igualdade antes do intervalo, aliás, mesmo sobre o apito do árbitro para o descanso, com um golo de Luís Caronho, mas na segunda parte não conseguiu encontrar os caminhos da vitória, também, por mérito da equipa do pinhal. Em Unhais da Serra a equipa da casa tem bons executantes, muito jovens, mas falta-lhes a experiência que tão fundamental se torna quando se disputa uma prova com tantos jogadores que o que não lhes falta é exactamente experiência. A Desportiva do Fundão acabou por não encontrar dificuldades para sair do Campo das Torgas com uma goleada à moda antiga. Venceu por 7-1, com os golos a serem apontados por Hélder Rodrigues, o primeiro, Ricardo Fonseca, fez o 2º e 3º, Petrolina, Ricardo Morais, João Mateus e de novo Petrolina marcaram, por esta ordem os restantes. O tento de honra do Unhais da Serra foi apontado por Gonçalo. Uma vitória fácil de mais para os comandados de João Laia. Em Proença o Valverde esteve muito bem. Num jogo de equilíbrios, a única peça a desequilibrar acabou por ser Meireles, com um golo aos 27 minutos e que valeram os três pontos para a equipa de Micas. Uma vitória que se pode considerar justa, mas que não deixa de constituir surpresa. Na Lardosa começou melhor a equipa do Vilarregense, ao ter marcado em primeiro lugar, mas a equipa do Centro Popular conseguiu dar a volta ao resultado, parecendo ter condições para somar os três pontos, contudo, já em período de descontos, ou para além destes, deixou-se surpreender com o golo do empate.
IN RCB
Loading...