domingo, 26 de outubro de 2008

Futsal ... o baptismo

E o dia de estreia chegou. Ponto de encontro pavilhão gimnodesportivo de Cernache do Bonjardim, 15 horas, pois esperava-nos uma longa viagem até á localidade do Peso (Covilhã) para defrontar a equipa local que teria a honra de apadrinhar a estreia em provas oficiais da “maltinha do futsal”. Assim sendo lá fomos, uns na carrinha gentilmente cedida pela Junta de Freguesia e outros no carro do director Jorge Coluna que juntamente com o massagista Adelino acompanharam a equipa de futsal. Após uma longa mas divertida viagem, com uma paragem em Castelo Branco para buscar o Diogo que se encontrava a trabalhar no pavilhão da Vicort, cujas instalações aproveitamos para visitar, chegamos finalmente ao Peso. Após o momento sempre simbólico de vestir o equipamento e ter a honra de envergar a “primeira camisola” do Futsal do GDVS, o “mister” António Joaquim deu-nos as ultimas indicações, cujas palavras tiveram o condão de nos dar a confiança necessária para entramos em campo sem qualquer tipo de receio pelo adversário. Dezoito horas soa o apito do árbitro, os primeiros minutos foram equilibrados, sem grande supremacia de qualquer uma das equipas. Num campo de dimensões reduzidas a equipa do GDVS bateu-se de forma igual com a equipa que o ano passado terminou a época regular em primeiro lugar. Até que chegou o primeiro golo da equipa adversária, após uma jogada pelo ar em que o João corta de cabeça uma bola que foi parar direitinha ao pé direito de um jogador adversário, que de primeiro, fez um golo de belo intento. Mas a “maltinha” não se foi abaixo e continuou a criar situações de golo (diga-se, que criámos muito mais do que o adversário em todo o jogo) até que o Fábio (Fagulha) com um belo remate cruzado teve a honra de marcar o primeiro golo oficial da equipa de futsal do GDVS. Depois conseguimos ter algum controlo no jogo, fazendo uma gestão eficiente com o (curto) banco á disposição do sempre energético António Joaquim que nunca parava de gritar e dar indicações para dentro do campo. Chegou-se ao fim dos primeiros 35 minutos empatados 1-1. Não poderíamos estar de todo insatisfeitos com esta primeira parte perante uma equipa largamente mais experiente do que nós. Começou o segundo tempo, onde nos primeiros cinco minutos não houve supremacia de ninguém até que chegou o segundo golo da equipa adversária. Mas não nos fomos abaixo e poucos minutos depois, conseguimos o golo do empate após mais um belíssimo remate do Fábio. Entramos então no nosso melhor período, em que fomos claramente superiores ao adversário. E foi com alguma naturalidade que chegamos ao 3-2 através do Tiago Mota, que aproveitou de forma exemplar o espaço criado pelo “arrastamento” para o flanco de um companheiro de equipa e desferiu um belo remate de pé direito não dando qualquer hipótese ao guarda-redes adversário. Este golo deu-nos alento e criamos diversas ocasiões para aumentar a vantagem. Mas o jogo é longo e começamos a acusar uma menor frescura física e após mais uma falha defensiva a equipa adversária chegou ao empate. Até que chegou o fatídico minuto 29, em que após ganharmos a bola, o Nélson (fofinho) que até aí tinha estado irrepreensível, ao não detectar qualquer linha de passe, acusando claro está alguma inexperiência, demorou mais do que os 4 segundos regulamentar para colocar a bola e os árbitros não tiveram complacência e apontaram livre indirecto. E dessa falta iria resultar o 4-3 para a equipa do Peso, pois apesar das insistentes indicações dadas pela “mister” ficou um jogador solto ao segundo poste que não teve qualquer dificuldade em marcar. Ainda havia cerca de 6 minutos para recuperar, mas a frescura física de alguns jogadores já não era a mesma, e mesmo arriscando tudo, jogando inclusive com um guarda-redes avançado, não conseguimos marcar o golo do empate. Mas apesar da derrota todos saímos de cabeça erguida, pois apesar de sermos os “benjamins” da prova não fomos um osso nada fácil de roer para uma equipa que demonstrou nalguns pormenores, possuir muito mais experiência e muito mais tempo de trabalho que esta “maltinha” que começou treinar a pouco mais de um mês. Por isso quer o “mister” António Joaquim, quer a sexagenária colectividade do GDVS não pode deixar de estar orgulhosa da dedicação e empenho de todos os que se deslocaram ao Peso. Resta-nos falar do resto da viagem que apesar de derrotados, de não irmos satisfeitos, pois uma derrota é sempre uma derrota, mas sentimos que estivemos quase a pontuar no nosso primeiro jogo oficial, foi uma viagem alegre com uma paragem para jantar em Castelo Branco. Jantar esse animado (o Adelino ainda “mexe”) onde reinou a boa disposição em todo o grupo. Uma palavra de apreço para a Soraia que também teve algum mérito para a boa disposição do jantar. E assim terminou a primeira aventura da “maltinha” do futsal, que irá trabalhar para conseguir os primeiros pontos no próximo jogo em casa, que fazemos desde já aqui o apelo para todos irem assistir, pois foi com enorme satisfação que vimos um recinto bem repleto de espectadores a assistir ao jogo e gostaríamos de merecer a confiança da população de Cernache do Bonjardim ao presentear-nos com uma casa cheia no nosso primeiro encontro em casa.
Como nota fica o nome dos primeiros: Tiago coluna, Fofinho, Diogo Ferreira, Tiago Mota, João Maluco, Nuno Melo, Fábio Fagulha, Orlando e Miguel Vieira .

M.V.
Loading...