segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

O destaque desta jornada volta a ir para o Alcains, que soube vencer o seu adversário e aumentar para oito os pontos sobre o segundo classificado, que curiosamente é o seu próximo adversário. Foi também uma jornada com quatro empates.
Outro dos empates desta tarde foi o que aconteceu em Oleiros. A equipa do Vitória entrou melhor na partida, foi a primeira a marcar, mas depois não conseguiu aguentar a vantagem alcançada. A equipa de José Ramalho cresceu, chegou ao empate aos 95 minutos num lance em que a jogada é iniçiada num lançamento de linha lateral que era pertença do vitória de Sernache mas que o "auxiliar" marcou ao contrário, depois um charuto para o marcador do golo que esta largamente FORA DE JOGO e empatado ficou o jogo ...depois das agressões ao arbitro ...
Em relação a este jogo iremos trazer aqui brevemente, a maneira como todos viram sermos ... e não podermos ter ganho este jogo.
Parabéns aos atletas do GDVS pelo (mais um) bom jogo realizado.

2ª Mão 2ª eliminatória Taça Honra

Sábado, 24 de Janeiro de 2009, 2ª mão da meia-final da Taça de Honra “Carlos Ranito Xistra”. Sabíamos que tínhamos pela frente uma tarefa difícil depois da derrota (8-4) trazida do Ladoeiro não seria nada fácil de anular. Mas as palavras do “mister” antes do jogo foram para nos tranquilizar, retirando qualquer pressão no resultado final, “vão, divirtam-se e ganhem o jogo” foram as palavras mestras do seu discurso antes do encontro começar. E foi com este espírito que iniciamos o jogo, respeitando, mas não temendo o adversário. O jogo começou muito rápido e o ladoeiro entrou muito rápido, mas nós também entrámos com muita vontade e as coisas começaram a correr bem… Logo aos 5’ o Motha numa jogada de contra ataque, após uma assistência do nosso capitão Diogo, iria inaugurar o marcador, para apenas volvidos 2 minutos, novamente o Tiago Motha, num remate acrobático aumentar a vantagem no marcador. O jogo estava espectacular, jogado a grande velocidade e aos 10’, novamente numa jogada de contra ataque o Motha ira marcar o terceiro da sua conta pessoal. Começava o sonho a tornar-se realidade. A equipa do Ladoeiro como que aturdida pelo nosso arranque fulgurante ainda pediu um desconto de tempo para reorganizar as forças. Mas a “maltinha do Futsal” estava em noite sim, continuávamos a dominar e a criar ocasiões de golo. No minuto 21’45” o Ladoeiro iria marcar um golo, num lance infeliz do nosso guarda-redes. Mas que dizer da pronta resposta do público, que de imediato saudou o “Fofinho” com uma longa ovação que teria o condão de o catapultar para, a partir daí, uma excelente exibição. Aqui se vê a importância do público a apoiar. Mas este golo não nos abalou e continuamos a suster as tentativas adversárias e íamos a procura de mais golos. Golo, este, que iria surgir ao minuto 30, num lance de insistência do nosso capitão Diogo, que acabou por finalizar com o pé mais cego. Antes do intervalo apenas a destacar a expulsão por acumulação de amarelos (minuto 34), do nosso jogador Luís Silva, numa decisão muito duvidosa da equipa de arbitragem que não esteve muito bem. Mas apesar de estarmos com menos um conseguimos suster a equipa do Ladoeiro e ir assim para o intervalo com um resultado favorável de 4-1. Começa a 2ª parte e tivemos de cumprir mais um minuto com menos um jogador, mas assimilando na perfeição as instruções defensivas dadas pelo “mister”, conseguimos aguentar sem sofrer golos. E já recompostos, lá fomos na tentativa de anular a desvantagem, que seria mesmo anulada ao 7’ num lançamento longo do Fofinho para a cabeça do Igor que iria bater o guarda redes da equipa adversária. E o “impossível” surgiria apenas passados 2 minutos, o Igor num belo remate de primeira iria marcar novamente e passar o resultado para 6-1 favorável ao GDVS. Aquilo que, se calhar, ninguém acreditava, estava a acontecer já tínhamos dado a volta a eliminatória, agora seria a equipa do Ladoeiro a correr atrás do “prejuízo”, só nos restava segurar as iniciativas da equipa adversária. Mas a “maltinha do Futsal” não queria manter o resultado e lá foi à procura de mais golos. E consegui-o, mas não iria contar, pois numa decisão polémica (mais uma) da equipa de arbitragem, o golo aparentemente limpo do Vasco seria anulado. Esta situação irritou o nosso “mister” que lhe valeu uma ida para a bancada. Mas tal situação não abalou o GDVS. A equipa denotando um enorme espírito de entreajuda e de sacrifício ia segurando a vantagem pois o jogo estava partido e lances de golo para ambos os lados foram mais do que muitos. Minuto 20, novo golo do Motha a por ainda mais a nu as fragilidades defensivas da equipa adversária. Nem um golo sofrido ao 21’45” abalou a enorme vontade de vencer do GDVS, pois logo aos 25’ o Edgar iria restabelecer a vantagem de 6 golos suficientes para garantir a passagem à final. Mas o jogo não acabaria sem ainda mais dois golos do GDVS, aos 32’ por intermédio do Igor na sequência de um livre indirecto dentro da área da equipa adversária e já perto do final o Fagulha lá iria marcar o “golito” da ordem fazendo assim o 10-2 com que iria terminar o encontro. De realçar nesta fase as várias situações criadas e algumas displicentemente falhadas, pela maltinha do Futsal, mas a valorosa equipa do Ladoeiro, que possivelmente não contaria encontrar uma equipa tão moralizada e forte também não merecia castigo maior. Faltam-me adjectivos para qualificar a exibição da “maltinha do Futsal”, resta-me só agradecer o apoio daqueles que numa noite fria se deslocaram ao pavilhão para nos apoiaram e acreditaram, pois ACREDITAR, foi o combustível que nos levou a mais uma página de glória do GDVS, e ao primeiro feito deste grupo a que carinhosamente apelidamos de “maltinha do Futsal”. Esperamos continuar a contar com o apoio do publico, e no respeito a esta competição … até a final, possivelmente em Castelo Branco.
Loading...